quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Orgulho rubro-negro

Texto de SYLVIO CAPANEMA DE SOUZA publicado em 15/07/2010 às 15h38m

Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer!Mais de 35 milhões de pessoas cantam com orgulho nosso hino. O Flamengo é uma nação, que nasceu dentro de outra. E, como toda nação, escreve a sua história, com grandezas e fragilidades, tem os seus heróis e seus vilões, mártires e traidores.

O Flamengo democratiza porque não distingue classes, irmana homens e mulheres, ricos e pobres, negros e brancos, doutores e iletrados. Ele sai às ruas, não se fecha em sedes, sobe os morros, cruza fronteiras, vence o tempo e as distâncias, a todos os seus filhos aproxima, no sentimento de uma só paixão.

Em 15 de novembro de 1895, quando foi fundado o Flamengo, algo mágico ocorreu, um destes inexplicáveis momentos que constroem a eternidade, que rompem a simples cronologia do tempo, e que são a centelha de energia que faz e que escreve a história das nações.

Espraiou-se pelo país a mística rubro-negra, como uma epidemia às avessas, uma epidemia do bem, com a contaminação do orgulho de ser Flamengo.

Ser Flamengo é um determinismo biológico. Nós nascemos rubro-negros, crescemos rubro-negros e morremos rubro-negros. Ele é sonho que se sonha nas arquibancadas e nos palácios, é remanso e corredeira, realidade e utopia, o ontem e o amanhã, porque para nós, rubro-negros, ele é tudo. O Flamengo não se explica, nem se define. Apenas se sente, como são sentidas as paixões. Ele não se oferece a nós, nós é que nos oferecemos a ele. Não nos cobra a vida, nós é que lhe doamos o corpo e a alma.

O lamentável episódio que envolve o goleiro Bruno atinge, como não poderia deixar de ser, o Flamengo, mas deve ser compreendido em suas reais e jurídicas dimensões. Não se pode condenar o Brasil porque tivemos um Calabar, nem a Alemanha pelo que fez Hitler. Judas não tornou desprezível toda a raça humana.

Bruno, seja o que tenha feito, e apesar das glórias e títulos que nos ajudou a conquistar, não é o Flamengo, e não age em seu nome. O Flamengo também é Zico, Júnior, Zizinho, Andrade e Rondinelli. É ainda César Cielo, Patrícia Amorim (natação), Oscar Schmidt, Marcelinho (basquete), Buck (remo), Diego e Daniele Hypólito (ginástica olímpica), e tantos outros que construíram sua grandeza, conquistando títulos nacionais e internacionais.

São milhões de torcedores, que comemoram com orgulho as vitórias e sofrem estoicamente as derrotas. As inúmeras piadas, perversas e de mau gosto, que circulam pela internet, não atingem apenas o Flamengo, que está muito acima delas, mas desrespeitam muito mais a dor dos que amavam a vítima e amesquinham quem as cria ou as transmite na censurável comemoração do macabro e da desgraça.

O Flamengo sofre e sangra com a vítima, não brinca com o crime, não absolve os culpados, mas não pode ser com eles condenado. Bruno, ou quem quer que seja, jamais conseguirá matar o Flamengo!

*SYLVIO CAPANEMA DE SOUZA é presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

sábado, 18 de dezembro de 2010

Exame de faixa BUDOKAN 2010

Leonardo, Felipe, Rodrigo, eu, Sensei Jorge Rocha, Thomas e Joel

Ideologias e espíritos

  • Quem teme perder já está vencido.
  • Somente se aproxima da perfeição quem a procura com constância, sabedoria e, sobretudo humildade.
  • Quando verificares com tristeza que não sabes nada, terás feito teu primeiro progresso no aprendizado.
  • Nunca te orgulhes de haver vencido a um adversário, ao que venceste hoje poderá derrotar-te amanhã. A única vitória que perdura é a que se conquista sobre a própria ignorância.
  • O judoca não se aperfeiçoa para lutar, luta para se aperfeiçoar.
  • Conhecer-se é dominar-se, dominar-se é triunfar.
  • O judoca é o que possui inteligência para compreender aquilo que lhe ensinam, paciência para ensinar o que aprendeu aos seus semelhantes e fé para acreditar naquilo que não compreende.
  • Saber cada dia um pouco mais e usá-lo todos os dias para o bem, esse é o caminho dos verdadeiros judocas.
  • Praticar judô é educar a mente a pensar com velocidade e exatidão, bem como o corpo obedecer com justeza. O corpo é uma arma cuja eficiência depende da precisão com que se usa a inteligência.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Policiais ganham reality shows e cadeira cativa na TV

Em SP, 'Operação de risco' e 'Polícia 24 horas' acompanham rotina do crime. No Rio, ex-capitão do Bope se destaca como comentarista do 'RJTV'.

Veja em: http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2010/12/policiais-ganham-reality-shows-e-cadeira-cativa-na-tv.html

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Petrobras e ABNT lançam no Brasil ISO 26000, norma internacional de Responsabilidade Social

Fonte: Petrobras (Responsabilidade social e ambiental - Comunicação)

Norma que orientará as organizações para atuação socialmente responsável foi discutida durante oito anos por 400 especialistas de mais de 90 países

A Petrobras e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) lançaram nesta quarta-feira (8/12), em solenidade na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a ISO 26000 – norma internacional da Responsabilidade Social.

Na ocasião estiveram presentes Ana Paula Grether, coordenadora do Relatório de Sustentabilidade da Petrobras e representante da Indústria na delegação brasileira na ISO 26000, Jorge Cajazeira, gerente corporativo de Competitividade da Suzano Papel e Celulose e presidente do Grupo de Trabalho Internacional da ISO 26000; Eduardo São Thiago, gerente de Relações Internacionais da ABNT e co-secretário do Grupo de Trabalho Internacional da ISO 26000; Kevin McKinley, vice-secretário geral da ISO, além de representantes da Fiesp, da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e demais participantes da delegação brasileira na ISO.

A ISO 26000 foi discutida durante oito anos por 400 especialistas de mais de 90 países. A delegação brasileira teve a Petrobras como representante da indústria nacional. O documento final apresenta a expectativa da sociedade quanto à atuação das empresas em relação a questões como direitos humanos, práticas trabalhistas, meio ambiente, governança, entre outros temas de responsabilidade social.

Para Ana Paula Grether esta norma é muito importante porque orienta todas as organizações na atuação socialmente responsável. ”A ISO 26000 é um marco e, talvez no futuro, seja um pacto social entre a sociedade e as organizações. Além disso, por ter sido elaborada por diversas mãos representa o que a sociedade espera de nós na questão socialmente responsável”, destaca a coordenadora do Relatório de Sustentabilidade da Petrobras e representante da Indústria na delegação brasileira na ISO 26000.

A norma é considerada inovadora, pois é a primeira norma ISO construída por um grupo de trabalho presidido conjuntamente por um país desenvolvido, a Suécia, e um país em desenvolvimento, o Brasil. Além disso, pela primeira vez a ISO utilizou um sistema participativo composto por seis partes interessadas (representantes da indústria, do governo, dos trabalhadores, dos consumidores, das ONGs, de instituições acadêmicas, de pesquisa e consultoria). Vale ressaltar que a norma tem caráter voluntário e orientador, não implica certificação nem verificação externa por terceiros.

A Petrobras em parceria com a ABNT apoiou a delegação brasileira na construção da norma. Em quatro anos, foram realizados 14 seminários no país, que envolveram mais de mil participantes, para debater os temas da norma. “Esses eventos mostraram o protagonismo do Brasil na difusão da construção participativa da norma. Nenhum outro país envolvido na discussão da norma promoveu tamanho debate interno sobre sua construção”, explica Ana Paula Grether.

A parceria da Petrobras com a ABNT continua após o lançamento da norma. A partir de 2011, serão realizados mais seminários em todas as regiões do país (Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Manaus e Porto Alegre) para disseminar a aplicação da ISO 26000. A norma, cujo preço de comercialização no Brasil é de R$ 180,60, será distribuída gratuitamente nos seminários.

Ana Paula enfatiza também o pioneirismo do Brasil no processo da responsabilidade social. “A delegação brasileira foi muito participativa no processo de construção da ISO 26000, levando a contribuição das diferentes partes interessadas ao grupo de trabalho internacional: indústria, governo, trabalhadores, consumidores e organizações da sociedade civil. O foco agora é incentivar a implantação da norma no país”, afirma Ana Paula.

Além disso, a Petrobras é a primeira empresa brasileira a se comprometer em adotar a ISO 26000. “Nós acompanhamos todo o processo de construção da norma. Então nós já trouxemos esse conhecimento para dentro da empresa e a partir disso formulamos requisitos de excelência em responsabilidade social com linhas de ação específicas”, enfatiza a representante da Petrobras.

A Petrobras elaborou 80 requisitos de excelência em Responsabilidade Social, seguindo os dez princípios do Pacto Global e baseando-se também no conteúdo da norma e em outros indicadores de relevância internacional, como os da Global Reporting Initiative e o questionário do Índice de Sustentabilidade Dow Jones.

Entre as ações internas da Petrobras quanto à implementação das diretrizes da ISO 26000, estão a formatação de curso específico sobre os temas da norma para seus funcionários na Universidade Petrobras e a capacitação em responsabilidade social para fornecedores, em parceria com o Sebrae. A primeira iniciativa está relacionada à questão de desenvolvimento humano e capacitação no local de trabalho e à integração de responsabilidade social em toda a organização, tratados pela norma. E a segunda iniciativa está alinhada ao conceito de Esfera de Influência, também definido na norma. A ISO 26000 relaciona os temas da responsabilidade social que devem ser considerados na esfera de influência e na cadeia de valor da organização, incluindo, por exemplo, seus fornecedores, parceiros comerciais, distribuidores e clientes.

Sobre a norma

A ISO 26000 elenca os princípios e temas centrais de responsabilidade social e orienta como as organizações devem integrá-los em sua atuação, considerando os impactos econômicos, sociais e ambientais de suas atividades, diretos ou indiretos.

Entre outros tópicos, a ISO 26000 definiu o conceito de responsabilidade social: “Responsabilidade de uma organização sobre os impactos de suas decisões e atividades na sociedade e no meio ambiente através de comportamento transparente e ético que contribua para o desenvolvimento sustentável, incluindo saúde e o bem estar da sociedade; leve em conta a expectativa das partes interessadas; esteja de acordo com as leis aplicáveis e consistente com as normas internacionais de comportamento; e esteja integrada através da organização e praticada nos relacionamentos desta”.

São temas centrais da norma:

Governança organizacional – Trata dos processos e estruturas de tomada de decisão, delegação de poder e controle. O tema é, ao mesmo tempo, algo sobre o qual a organização deve agir e uma forma de incorporar os princípios da responsabilidade social à sua forma de atuação cotidiana.

Direitos humanos – Inclui verificação de obrigações e de situações de risco; resolução de conflitos; direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais; direitos fundamentais do trabalho; evitar a cumplicidade e a discriminação; considerando grupos vulneráveis.

Práticas trabalhistas – Refere-se tanto a emprego direto quanto ao terceirizado e ao trabalho autônomo. Inclui emprego e relações do trabalho; condições de trabalho e proteção social; diálogo social; saúde e segurança ocupacional; desenvolvimento humano dos trabalhadores.

Meio ambiente – Inclui prevenção da poluição; uso sustentável de recursos; combate e adaptação às mudanças climáticas; proteção e restauração do ambiente natural; e os princípios da precaução, do ciclo de vida, da responsabilidade ambiental.

Práticas operacionais justas – Compreende combate à corrupção; envolvimento político responsável; concorrência e negociação justas; promoção da responsabilidade social na esfera de influência da organização; e respeito aos direitos de propriedade.

Questões dos consumidores – Inclui práticas justas de negócios, marketing e comunicação; proteção à saúde e à segurança do consumidor; consumo sustentável; serviço e suporte pós-fornecimento; privacidade e proteção de dados; acesso a serviços essenciais; educação e conscientização.

Envolvimento com a comunidade e seu desenvolvimento – Refere-se a investimento social; desenvolvimento tecnológico; investimento responsável; criação de empregos; geração de riqueza e renda; promoção e apoio à saúde, à educação e à cultura.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

MAUS HÁBITOS - Paulo Ricardo Mubarack

Um profissional é o somatório de sua genética com o que aprendeu na família, na escola, na comunidade e nas empresas onde trabalhou. Tenho conhecido muitas pessoas com genética boa, mas com maus hábitos, o que acaba por prejudicá-las em suas carreiras. São pequenas, mas desagradáveis atitudes que atrapalham muita gente e que acabam por desqualificar bons funcionários.

Não basta ter conhecimentos técnicos ou gerenciais, é necessário APRENDER A TRABALHAR. Raramente se ensina para alguém como trabalhar e isto independem da atividade de cada um. Vale para qualquer profissão.

Vejamos alguns hábitos muito ruins e freqüentes em nossos profissionais:

1. NÃO ANOTAR: em alguns cursos, interrompo a aula e digo para minha platéia, que não toma nota de nada: "Vocês não estão assistindo a um show. Isto é um treinamento e quanto mais vocês anotarem, mais vocês aprenderão. Não adianta ficar de braços cruzados apenas me ouvindo".

2. NÃO UTILIZAR AGENDA: fico muito desapontado quando peço algo para uma pessoa ou quando marco uma reunião e ela não toma nota na agenda. Este mau hábito demonstra pouco caso com o compromisso assumido e aumenta a probabilidade do esquecimento.

3. NÃO OUVIR: hábito deplorável, muito comum em diretores e presidentes. Quando você fala mais do que ouve, você pára de aprender e fica obsoleto. Ouvir o que outros falam é uma atitude que demonstra inteligência e respeito.

4. NÃO DAR RETORNO: se um profissional não pode atender ao telefone ou responder imediatamente um e-mail, deve fazê-lo o mais rápido possível, preferencialmente no mesmo dia. Conheço pessoas que jamais dão retorno. Você tem que ligar uma segunda vez.

5. NÃO SER PONTUAL: péssimo hábito, identificador de absoluta falta de respeito. Há pessoas que SEMPRE se atrasam. Observe a cara ridícula desta gente quando entra em uma reunião ou em um curso e atrapalha a todos!

6. NÃO TER O MÍNIMO DE ETIQUETA - manifestar PRECONCEITOS, RACISMOS, atender o celular no meio de um curso, manter conversas paralelas em uma reunião.

7. NÃO LER NEM ESTUDAR: profissionais que não sabem pesquisar nem ler nem estudar não são profissionais. São amadores que devem ser imediatamente descartados. Uma empresa não progride com gente ignorante trabalhando em sua equipe.

8. SER DEFINITIVO DEMAIS: é a característica do burro por convicção. Ele tem opiniões formadas sobre todos os assuntos e jamais se permite análise crítica. Como "sabe tudo", não aprende nada e permanece mergulhado em uma ignorância profunda.

9. NÃO PERDER A PIADA: são aqueles caras engraçados que fazem todo mundo rir. Um circo de segunda classe talvez fosse o lugar mais adequado para esta gente. Ter bom humor é fundamental, mas estar sempre rindo e contando piadas (especialmente se for para debochar dos colegas ou da própria empresa) é
característica de alguma patologia que mereceria ser investigada por um psiquiatra.

10. NÃO SE PREPARAR PARA UMA REUNIÃO: são profissionais que vão para reuniões e para cursos "de mãos abanando", sem qualquer tipo de preparo. Atitude deplorável, que prejudica a produtividade das atividades e atrapalha o grupo.

11. PROCRASTINAR: o popular "empurrar com a barriga". São os preguiçosos que sempre deixam algo para amanhã. Não fazem nada rápido e não tem senso de urgência.

12. SER ADEPTO DE FOFOCAS: expor a própria vida privada e a dos outros. A fofoca, embora possa parecer inofensiva, tem efeitos muito nocivos na produtividade e no ambiente de trabalho.

13. NÃO TER A VIDA FINANCEIRA ORGANIZADA: aquela velha máxima de deixar os problemas pessoais "atrás da porta" quando se entra no trabalho não funciona. Quem tem a vida financeira e pessoal desorganizada é um profissional de segunda linha, que frequentemente perde o foco e a capacidade de concentração no trabalho.

14. NÃO CUIDAR DA SAÚDE: noitadas, excesso de peso e falta de preparo físico não prejudicam apenas atletas, prejudicam qualquer profissional. Em um corpo cansado ou doente não existe lugar para o aprendizado e para a produção de boas atividades. Pessoas que fumam têm este problema. Simples
assim!

15. NÃO CUMPRIR COMPROMISSOS: se você precisa entregar um trabalho em uma data definida, você deve entregar, nada menos do que isto. Não cumprir prazos é fatal para um profissional. Não tem tempo? Não gosto e não quero ouvir esta desculpa "furada". Se não há tempo durante o horário normal, faça
de madrugada, mas faça!

Ensinar a trabalhar! Talvez seja a peça que está faltando no currículo das escolas e dos MBAs, no treinamento das empresas e nas conversas entre pais e filhos.


Paulo Ricardo Mubarack (Consultor de Gestão, Qualidade, Administração de Pessoas, RH, ISO 9001 e autor do livro "Empresas nuas").

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Maya Nespoli Ribeiro... A prometida de Thunder!!!

 
Dois meses, hoje... 11 Kg!!!

Maya é o princípio de polaridade feminina, que torna a Natureza uma artífice de criatividade sem limites. É o próprio poder criador se manifestando em miríades de imagens, que se modificam em perpétuo movimento (Krya Shakti).

domingo, 31 de outubro de 2010

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Onde estaremos em 2014?

Olá,

Se você está recebendo este e-mail, é porque é uma das pessoas que estão na minha lista de contatos do Gmail.

Se você já tem seu candidato, desconsidere este e-mail. Se você está indeciso, peço algumas linhas de atenção.

Meu recado é muito simples e direto: Você lembra das consequências da última vez que votamos em um desconhecido para presidente? Alguém orgulhoso, que se achava acima do bem e do mal, amparado por grande popularidade...pois é...deu em impeachment.

Agora avalie se você conhece suficientemente a Dilma para dar a ela o mesmo cheque em branco que foi dado ao Collor em 1989.

Esta eleição não é para eleger qual é o melhor amigo do Lula, mas para eleger aquele em que iremos confiar a condução das nossas vidas por 4 anos.

Antes de decidir, assista a este vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=PFgE8n75bEw
  Agora decida.

Pense no futuro do país. Pense com grandeza e vote Serra, Presidente do BR45IL!

Daniel Beltran

P.S.: Você tem até sábado para passar este e-mail a seus amigos.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Inauguração da ampliação do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes)

Autor: Agência Petrobras de Notícias
Publicador: Marco Antônio Pessoa Veloso de Almeida


O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, participou no dia 7 de outubro da cerimônia de inauguração da ampliação do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), na Ilha do Fundão, Rio de Janeiro, ao lado do presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, e da diretoria da Companhia. As obras de ampliação foram conduzidas pela Implementação de Empreendimentos para o Cenpes (Iecp).

O presidente tirou fotos com empregados da Petrobras e visitou as instalações do Laboratório de Petrogeofísica e o Núcleo de Visualização Colaborativa (NVC), que conta com ambientes para desenvolvimento de estudos e projetos com simulação tridimensional. No laboratório do Cenpes, o presidente acompanhou o discurso do gerente executivo do centro de pesquisa, Carlos Tadeu Fraga, para a comunidade científica ali reunida. “O pré-sal surge como enorme possibilidade de gerar riqueza para o País, com descobertas que podem dobrar nossas reservas. Nós chegamos onde chegamos com base no domínio tecnológico e vamos continuar investindo cada vez mais. O investimento da Petrobras em tecnologia é cinco vezes mais do era há uma década. Nos últimos três anos, fomos responsáveis por um dos cinco maiores investimentos em pesquisa e tecnologia do mundo”, disse Fraga.

Lula também falou da importância do Cenpes. “Estamos aqui inaugurando um centro que dá a vocês o direito de dizer ao mundo que o Rio de Janeiro é uma cidade e um estado tecnológico, porque é aqui onde está o maior centro de pesquisa da Petrobras e do Hemisfério Sul, com mais de 200 laboratórios e milhares de pesquisadores”, disse o presidente, acrescentando que ficou muito orgulhoso em participar da cerimônia que marcou a capitalização da Petrobras. “O valor de mercado da Petrobras, que era de US$ 15 bilhões em 2003 foi para US$ 220 bilhões em 2010, e já é a segunda maior empresa de petróleo do mundo, atrás apenas da Exxon”, comemorou o presidente.

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, parabenizou os funcionários da Companhia e contou um pouco da história recente do Cenpes. “Se lá no estaleiro (Brasfels, em Angra dos Reis, onde foi batizada hoje – 07/10 – a plataforma P-57, também com a presença do presidente Lula), visualizamos a médio e longo prazos a enorme demanda de novos equipamentos que precisamos para atender nosso plano de negócios, aqui no Cenpes é onde visualizamos o futuro e onde continuamos aprofundando essa trajetória”, disse, avaliando terem sido acertadas as metas estabelecidas pelo terceiro plano estratégico de Ciência e Tecnologia da Petrobras, elaborado em 2003 quando, além da ampliação do Cenpes, foi decidida a criação das redes temáticas, com fortes investimentos em laboratórios e universidades de todo o País.

Novas instalações do CenpesCom a ampliação, o complexo na Ilha do Fundão ocupará mais 300 mil m2, tornando-se um dos maiores centros de pesquisa aplicada do mundo. Serão diversos laboratórios destinados a atender as demandas tecnológicas das áreas de negócio da Petrobras, com destaque para os laboratórios de Biotecnologia, Meio Ambiente e Gás & Energia. A ampliação também contará com modernos laboratórios para atender exclusivamente as demandas do pré-sal.

Infraestrutura de ponta
A ampliação do Centro de Pesquisas da Petrobras conta com instalações inovadoras. Entre elas está o Núcleo de Visualização Colaborativa (NVC), com ambientes para desenvolvimento de estudos e projetos com simulação tridimensional. Os pesquisadores e especialistas poderão trabalhar remotamente no NVC e em outros locais, como se estivessem imersos dentro do modelo estudado. O prédio conta ainda com nove alas dedicadas a instalações laboratoriais e um prédio central com áreas administrativas e espaços de convivência e trabalho colaborativo.

O sistema de reaproveitamento de águas merece destaque. A água da chuva, que é coletada através do telhado e do piso, será reaproveitada na irrigação de jardins e no fornecimento para os sanitários. Já os efluentes sanitários, oleosos e químicos serão tratados na Etra (Estação de Tratamento e Reuso de Águas) e reutilizados no sistema de ar condicionado, permitindo redução do consumo de água potável.

A Central de Utilidades, considerada o coração do complexo, é responsável pela distribuição de energia elétrica, geração de energia através do gás do diesel; pelo recebimento de água tratada pela Etra e pelo fornecimento dos insumos básicos para a operação do complexo. Usando tecnologia de última geração, a Central possui diversos sistemas capazes de fornecer todas as utilidades, garantindo sua constante e segura operação.

Ecoeficiência e Sustentabilidade
O desenho de linhas modernas, de autoria do arquiteto brasileiro Siegbert Zanettini, concorreu ao Prêmio Mundial de Construção Sustentável, da tradicional organização internacional Holcim Foundation, além de ter sido destaque na 6ª Bienal Internacional de Arquitetura (BIA), em 22 de outubro de 2006. O projeto se candidatou, ainda, à certificação verde, fornecida pelo Leadership in Energy and Environmental Design (LEED), uma ferramenta utilizada para avaliação e classificação do desempenho ambiental dos edifícios.

Para maior harmonização da área construída existem espaços verdes entre as edificações, laboratórios e jardins internos dos prédios, favorecendo a integração do ser humano com a natureza no local de trabalho ao recriar um ambiente que estimule a criatividade e inovação, motivando a produtividade do pesquisador.

Enfatizando os conceitos de ecoeficiência, ocorre o maior aproveitamento possível de áreas de sombra e ventilação para menor consumo de energia elétrica e carga de ar condicionado, minimizando a incidência direta de sol nos ambientes internos. Os tetos possuem aberturas translúcidas e haverá venezianas direcionais em cada dependência, com inclinação calculada para a captação da luz solar e da ventilação natural. Quando alcançado o nível ideal de iluminação, apagam-se automaticamente as luzes artificiais, mantendo-se o mesmo padrão de claridade.

Em sua construção foram combinadas estruturas em aço com estruturas de concreto, previamente projetadas para evitar cortes e descartes e, conseqüentemente, reduzir a produção de resíduos. Eventuais sobras de materiais, como concreto e chapas, foram reaproveitadas na própria obra.

A ampliação gerou cerca de seis mil empregos diretos e quinze mil empregos indiretos durante a execução da obra.

Parcerias para crescerA ampliação do Cenpes é parte de uma estratégia da Petrobras para ampliação da capacidade experimental do parque tecnológico brasileiro. A Companhia é hoje a empresa que mais investe em ciência e tecnologia no país. Nos últimos três anos (2007-2009) foram investidos R$ 4,8 bilhões, sendo R$1,2 bilhão para universidades e institutos de pesquisa nacionais, parceiros da Petrobras na construção de infraestrutura experimental, na qualificação de técnicos e pesquisadores e no desenvolvimento de projetos de pesquisa.

Para fazer a gestão de investimentos dessa envergadura, foi criado o modelo de Redes Temáticas, em 2006. A empresa identificou 50 temas estratégicos na área de petróleo e gás e para cada tema selecionou potenciais colaboradores, que hoje somam cerca de 100 instituições nacionais de Pesquisa & Desenvolvimento.

“A área laboratorial construída por meio dessa estratégia nas universidades brasileiras já é cerca de quatro vezes a área existente do Cenpes e, para cada pesquisador nosso, outros dez participam, nas suas respectivas instituições de pesquisa, de estudos relacionados à solução de desafios enfrentados pela Petrobras. Os investimentos feitos nas universidades, associados aos investimentos que estamos fazendo com a expansão do Cenpes, estão transformando o parque tecnológico nacional para óleo e gás em um dos mais bem aparelhados do mundo”, explica Carlos Tadeu da Costa Fraga, gerente executivo do Centro de Pesquisas.

Este movimento não se restringe à comunidade nacional de Ciência e Tecnologia. Com o pré-sal, a escala e a complexidade das demandas da Petrobras têm aumentado bastante e fornecedores tradicionais, incluindo grandes multinacionais, estão estabelecendo com a Companhia parcerias de longo prazo. A fim de estreitar ainda mais esse relacionamento e ampliar a troca de conhecimentos, a Petrobras tem estimulado essas empresas a construir centros de pesquisa no Brasil, em locais próximos às instalações da Companhia ou de universidades parceiras.

Somente no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), localizado próximo ao Cenpes, já foi anunciada a construção de centros de pesquisas de pelo menos quatro importantes fornecedores de equipamentos e serviços da indústria de energia: Schlumberger, Baker Hughes, FMC Technologies e Usiminas.

domingo, 3 de outubro de 2010

Google Earth vai mostrar apuração com imagem 3D

O Tribunal Superior Eleitoral vai colocar à disposição um tour virtual, por meio do Google Earth, no qual o eleitor poderá acompanhar a apuração, em tempo real, para os cargos de presidente da República, governador e senador.

O arquivo que vai mostrar a apuração nos 27 estados por meio do aplicativo foi criado pelo Núcleo de Estatística da Assessoria de Gestão Estratégica do TSE. De acordo com o setor, as localidades serão percorridas automaticamente em intervalos programados, demonstrando novamente a apuração para presidente a cada três estados percorridos.

O arquivo estará disponível para download após as 18 horas deste domingo (3/10). Ele permite que o eleitor visualize o resultado parcial das eleições, com os dois primeiros colocados de cada cargo, e a imagem de satélite de uma localidade conhecida do estado visualizado.

Na demonstração da apuração para presidente da República será mostrada a Praça dos Três Poderes com o Palácio do Planalto ao fundo, em Brasília. Mas algumas localidades poderão ser visualizadas em três dimensões.

O aplicativo estará disponível na página da Agência de Notícias da Eleições 2010 na internet. No mesmo local haverá um manual com instruções sobre o uso do serviço.

Conheça os locais que poderão ser visualizados em três dimensões pelo Google Earth na página do TSE:

Alagoas - Farol da Praia de Ponta Verde, em Maceió.
Amapá - Fortaleza de São José de Macapá, em Macapá.
Bahia - Região do Elevador Lacerda, em Salvador.
Ceará - Mercado Central, em Fortaleza.
Distrito Federal - Memorial JK, em Brasília.
Espírito Santo - Convento da Penha e Terceira Ponte, em Vila Velha e Vitória.
Goiás - Praça Cívica, em Goiânia.
Maranhão - Convento das Mercês, em São Luís.
Minas Gerais - Região da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte.
Pará - Mercado Ver-o-peso, em Belém.
Paraíba - Ponta do Seixas, em João Pessoa.
Paraná - Jardim Botânico, em Curitiba.
Pernambuco - Farol do Recife Antigo, em Recife.
Piauí - Ponte Estaiada, em Teresina.
Rio de Janeiro - Cristo Redentor.
Rio Grande do Norte - Ponte de Todos, em Natal.
Rio Grande do Sul - Monumento ao Laçador, em Porto Alegre.
Santa Catarina - Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis.
São Paulo - Avenida Paulista.

sábado, 2 de outubro de 2010

Já preparou sua "cola" para amanhã? (válido para quem vota no RJ)

Amigos,

Amanhã é dia de eleições e sei que muitos dos que estão recebendo este email ainda não tem candidatos, especialmente a Senador e Deputado.

Peço o voto especial a Cesar Maia - 251. Vai ser a única voz coerente de nosso estado no Senado, sem ser um beija mão ou trabalhar diretamente para a Igreja Universal e, claro, o fato de ser alguém sempre aberto ao contato da população.

Os meus candidatos são:
Marcelo Queiroz - Estadual  -  Rodrigo Dantas 25123
Rodrigo Maia - Federal - 2587
Cesar Maia - Senador - 251
Marcelo Cerqueira - Senador - 233
Fernando Gabeira - Governador - 43
José Serra - Presidente - 45

--
Daniel Beltran
(21) 8823-4586
http://twitter.com/danielbeltran
http://www.formspring.me/DanielBeltran

Ideologias nos separam. Sonhos e angústias nos unem. Eugene Ionesco

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Comunidade rompe com a Oracle e lança Fundação

Bom dia,

Segue o Press Release sobre a criação da The Document Foundation, o
que significa na prática, um rompimento com a Oracle e a garantia de
um produto com mais qualidade através do resgate à liberdade inicial
do Projeto.

http://www.broffice.org/the_document_foundation

Por: Luiz Oliveira - Comunicação BrOffice.org

Vai ser azarada assim lá no paraíso!!!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A Arte De Trabalhar Em Equipe!!!

Escrito por Sergio Buaiz* no RHPortal - Janeiro, 2007 - 31:02


(...)

Todos por um!!!

Não apenas na música clássica, mas também no rock, pop ou samba, há muito o que se aprender sobre trabalho em equipe. Quantos exemplos de parcerias bem-sucedidas nós temos na MPB, quando a soma das partes é infinitamente maior e mais rica que seus elementos, separadamente?

No palco, nos estúdios de gravação ou qualquer outro lugar em que o ideal da música esteja presente, podemos perceber a atuação fundamental de cada integrante da equipe, exercendo sua liderança em momentos alternados. É um entrosamento que nasce basicamente da visão compartilhada de um objetivo comum, sempre maior que os interesses individuais de exposição, lucro ou reconhecimento.

Para o músico, engenheiro de som e produtor Marcelo Sussekind, esse é um princípio básico para o sucesso de qualquer grupo musical:

— Sempre que estou reunido com os músicos, faço questão de lembrar que a banda é mais importante do que cada um individualmente. Sozinho, ninguém chega a lugar algum.

Marcelo foi guitarrista do grupo Erva Doce, que fundou em 1981, juntamente com o tecladista Renato Ladeira. Entretanto, seu grande talento começou a ser mesmo reconhecido pelos trabalhos de produção artística que fez junto a grandes nomes do pop/rock nacional. A lista é extensa, e inclui desde o tremendão Erasmo Carlos, até Lulu Santos, Daniela Mercury, Ira!, Lobão, Paralamas do Sucesso, Engenheiros do Hawaii, 14 Bis, Mauricio Manieri, Bruno & Marrone, Guilherme Arantes, Ana Carolina e Jota Quest. 

Com o Capital Inicial, Marcelo Sussekind teve a oportunidade de trabalhar em vários projetos, desde o CD “Todos os Lados”, gravado em 1989, até o CD/DVD acústico MTV de 2000 e o CD “Rosas e Vinho Tinto”, lançado em 2002. Em pouco mais de uma década, foi possível acompanhar o amadurecimento da banda, que atualmente vive um dos melhores momentos de sua carreira:

— Na época do CD “Todos os Lados”, havia uma ligeira divisão. De um lado, Fê, Flavio e Loro queriam fazer um som mais rock, enquanto o Dinho e o tecladista Bozzo Barretti queriam levar mais para o pop/eletrônica. Apesar dessa diferença de opiniões, foi um disco bom de ser feito.

Em 1993, o vocalista Dinho Ouro Preto saiu do grupo para seguir em carreira solo. Segundo Marcelo, o afastamento do Dinho nada teve a ver com deslumbramento com a fama ou essa vontade de ganhar mais que os outros, muito comum quando vocalistas iniciam um trabalho solo. Era basicamente uma vontade de experimentar seu lado pop.

Isso explica o sucesso do retorno da banda em 1998, sem mágoas, que resultou na fase mais próspera da banda. A partir do acústico MTV, lançado em 2000, o Capital Inicial voltou com muita força à mídia, produzindo um hit após o outro. Marcelo Sussekind, que produziu aquele trabalho, destacou o trabalho em equipe:

— Na época do acústico, o astral estava ótimo. Todos conscientes do que deveria ser feito. Os arranjos foram feitos no local de ensaio por mim e pela banda. Apesar de ser o compositor da maioria das músicas e ter um voto forte, o Dinho sempre foi muito maduro e receptivo a idéias. O Capital é uma banda muito equilibrada. Todos encaram a superexposição do Dinho com naturalidade e também contam com a força do Haroldo (empresário da banda), que ajuda muito nas decisões.

A história do Capital Inicial serve para mostrar que, apesar das disputas e desejos individuais de cada artista, a música sempre é resultado de um bom trabalho em equipe. Por isso, compositores, instrumentistas, produtores e todos os demais agentes da indústria fonográfica sabem alternar, como poucos, o exercício da liderança. Caso contrário, não conseguiriam se manter unidos por tanto tempo.

Vale apostar no parceiro sempre!!!

Esta é uma das frases mais brilhantes do músico e compositor Léo Jaime, que aprendi a admirar ainda mais, após um rápido bate-bola sobre criatividade e parcerias.

De primeira, “O Pobre / Conquistador Barato” mostrou que tem valores muito além da música e da escrita. Ele sabe, como ninguém, trabalhar em equipe. Léo já compôs com diversas figurinhas carimbadas do pop-rock nacional, como Herbert Vianna, Tavinho Paes, Leoni, Alvin L., Paulinho Lima e Dalto, entre outros.

Navegando por essa teia de conexões artísticas, é possível identificar traços muito comuns entre aqueles que, de fato, conseguem dividir para multiplicar.

Pra começo de conversa, não há espaço para a mesquinhez, tipo: “eu fiz 87,2% do trabalho e mereço maior destaque”. Qualquer participação é válida e justifica a assinatura em igualdade de condições. Saber valorizar o outro é devolver ao solo a fertilidade necessária para as próximas colheitas. Parceiros de carteirinha acreditam na abundância. Esse espírito colaborativo fica evidente quando Léo fala sobre a divisão de responsabilidades:

— A melhor forma de compor em parceria é começar com um brainstorm. Falo disparates até não poder mais. E sempre, no meio deles, há algo aproveitável. Mas às vezes você tem uma música que emperrou e o outro só dá aquela arrumada, sem necessariamente ter feito muita coisa. Isso é parceria também e vale da mesma forma.

O melhor exemplo da visão sustentável de Léo Jaime vem de uma história curiosa, relacionada a um de seus maiores sucessos. A canção “A Vida Não Presta”, que emplacou nas rádios em 1985, foi composta em parceria com Leandro e Selvagem Big Abreu que, segundo o próprio Léo, tiveram uma participação indefinível:

— “A Vida Não Presta” foi uma música que fiz em quatro minutos. A compus do jeito que ela é hoje. Eu tinha dois parceiros comigo na hora, e foram eles que escreveram a letra, aprovaram os versos e a melodia. Em tese, eu fiz tudo sozinho, mas será que a música teria ficado igual se eles não estivesse ali? Os considero parceiros nessa canção com igual responsabilidade.

Diante do intangível, quantos que se dizem “parceiros” adotariam uma postura parecida? Nos negócios, na política ou em qualquer outro meio, quantos seriam capazes de dividir as recompensas com tamanho desprendimento?

Loucura? Vacilo? Ingenuidade? Muito pelo contrário! Para extrair o melhor desta lição, é necessário compreender que não se trata de generosidade com os amigos, doação, filantropia ou qualquer coisa do gênero. É uma atitude que denota um alto grau de consciência. Ele sabe que não há como avaliar a importância de um olhar, do apoio e da cumplicidade que havia naquele momento. A simples presença dos parceiros serviu para transmitir segurança e tranqüilidade, permitindo que o gênio criativo do compositor fluísse e pudesse ser registrado imediatamente, com o mínimo ruído.

Se eles não estivessem ali, a própria determinação do Léo Jaime em concluir o trabalho poderia estar comprometida. Sua atenção poderia se voltar para outra coisa, a composição poderia seguir um outro rumo, enfim, não há como saber.

O fato é que, ao decidir pela parceria em igualdade de condições, além de tirar um peso da consciência (de ter sido injusto), ele pôde reforçar os laços de confiança com seus parceiros, que continuaram participando ativamente da sua carreira.

Certamente, a coerência das ações e consistência de caráter do compositor foram determinantes para a formação de novas alianças e progressos, que ele jamais conseguiria se optasse por seguir sozinho.

Às vezes, a preocupação excessiva em garantir alguns tostões a mais no bolso nos leva a comprometer a vida longa (e cheia de frutos) de uma parceria de sucesso.

Outra coisa: no processo criativo em que duas ou mais pessoas se propõem a trabalhar juntos, é preciso saber negociar com inteligência. Querer ganhar sempre é sinal de imaturidade e desgasta as relações:

— Não luto muito por idéias que não sejam realmente muito boas. Se aquela pessoa disse que não, vamos procurar outra possibilidade. Deve haver melhor. Não me chateio. Se um parceiro luta muito por uma idéia, acho que é bom acatar. Eu só insistiria se fosse uma coisa que me deixasse muito convicto. E vale apostar no parceiro sempre!

As conversas com Marcelo Sussekind e Léo Jaime se estenderam por outros assuntos, com a mesma relevância. Muitos outros artistas, produtores e empresários da MPB têm me concedido entrevistas parecidas, para o novo livro que me propus a escrever.

Tem sido uma parceria muito gratificante, que vem confirmando a minha intuição. Eu estava certo! O universo musical e os “loucos” artistas têm muito a nos ensinar sobre sustentabilidade, ética, motivação e todos os assuntos que estão na moda dentro das empresas, mas que poucos executivos são realmente capazes de compreender.

Espero que as lições que extraímos da arte consigam nos mostrar um novo caminho, longe dessa competição desleal, do individualismo cego e o lucro imediato a qualquer preço.

* Sergio Buaiz
buaiz@chance.com.br
Publicitário, escritor e conferencista. Presidente da Chance Network, é membro do conselho editorial da Revista VENCER

Show da Madame Escarlate - FESTIVAL DA PRIMAVERA EM MACAÉ!

VEJA MAIS...



terça-feira, 21 de setembro de 2010

O show foi um SUCESSO!

O próximo é na sexta! Aguardamos você!!!

Curso MBA Gerenciamento de Projetos UFF - Última turma do ano!

Turma Niterói em 25/09/2010.

Telma Silva Gonçalves
LabCEO / UFF
2629 5716  /  7674 5543

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Gestão por Competências

Segundo Idalberto Chiavenato, Gestão por competências é um programa sistematizado e desenvolvido no sentido de definir perfis profissionais que proporcionem maior produtividade e adequação ao negócio, identificando os pontos de excelência e os pontos de carência, suprindo lacunas e agregando conhecimento, tendo por base certos critérios objetivamente mensuráveis.

A definição de Competência está baseada no CHA, que são os conhecimentos (C) e as habilidades (H), competências técnicas, e as atitudes (A), competências comportamentais, que uma pessoa possui. O conhecimento tem relação com a formação acadêmica, o conhecimento teórico. A habilidade está ligada ao prático, a vivência e ao domínio do conhecimento. Já a Atitude representa as emoções, os valores e sentimentos das pessoas, isto é, o comportamento humano.

A gestão por competências figura como alternativa aos modelos gerenciais tradicionalmente utilizados pelas organizações. Propõe-se a orientar esforços para planejar, captar, desenvolver e avaliar, nos diferentes níveis da organização (individual, grupal e organizacional), as competências necessárias à consecução de seus objetivos.

A proposta da Gestão por Competências é compreender quais são as competências organizacionais críticas para o sucesso empresarial, desdobrá-las em termos de competências profissionais e desenvolvê-las junto ao quadro de funcionários internos. Trata-se de uma metodologia de gestão moderna, focada nos negócios, no mercado e no desenvolvimento profissional permanente.

A Gestão por Competências direciona sua ação prioritariamente para o gerenciamento do gap ou lacuna de competências eventualmente existente na organização ou equipe, procurando eliminá-lo ou minimizá-lo. A idéia é aproximar ao máximo as competências existentes na organização daquelas necessárias para a consecução dos objetivos organizacionais.

Sob essa perspectiva, minimizar eventuais lacunas de competências significa orientar e estimular os profissionais a eliminar as discrepâncias entre o que eles são capazes de fazer (competências atuais) e o que a organização espera que eles façam (competências necessárias).

O Mapeamento de Competências é a base de toda a GESTÃO POR COMPETÊNCIAS. O mapeamento se dá pela descrição das competências laborais no trabalho. Para tanto, existem fudamentalmente duas metodologias complementares de descrição de competências no trabalho, a saber:

* A primeira se baseia nos recursos ou dimensões da competência, ou seja, os conhecimentos, habilidades e atitudes que se pressupõem sejam necessários para que o profissional possa apresentar determinado desempenho no trabalho.
* A segunda utiliza-se de pautas ou referenciais de desempenho, de forma que o profissional demonstraria deter uma dada competência por meio da adoção de certos comportamentos passíveis de observação no trabalho.

Em geral, a adoção de um ou outro critério para descrição de competências ocorre em razão do uso que se pretende dar à descrição. Quando utilizadas em instrumentos de avaliação do desempenho no trabalho, por exemplo, as competências são descritas sob a forma de comportamentos passíveis de observação (referenciais de desempenho), para que o avaliador possa mensurar o desempenho do avaliado a partir dos comportamentos que este adota no trabalho. Quando utilizadas na formulação de ações de treinamento, por sua vez, então faz-se necessário descrever não apenas os comportamentos desejados (referenciais de desempenho), os quais constituirão os objetivos instrucionais do treinamento, mas também os conhecimentos, habilidades e atitudes correspondentes, os quais constituirão os conteúdos educacionais a serem ministrados.

Através da Avaliação por Competências, também chamada de Avaliação de Desempenho, será identificado se o perfil comportamental e técnico dos colaboradores de uma corporação estão alinhados ao perfil ideal exigido pelos cargos.

A Avaliação por Competências é uma maneira de estimar o aproveitamento do potencial individual de cada colaborador dentro das organizações.

O resultado da Avaliação será a identificação das competências comportamentais e técnicas que precisam ser aperfeiçoadas.

Alguns benefícios da Gestão por Competências:

* Melhora o desempenho dos colaboradores;
* Identifica as necessidades de treinamentos;
* Alinha os objetivos e metas da organização e da equipe;
* Reduz a subjetividade na Seleção e Avaliação de pessoas;
* Analisa o desenvolvimento dos colaboradores;
* Enriquece o perfil dos colaboradores, potencializando seus resultados;
* Melhora o relacionamento entre gestores e liderados;
* Mantém a motivação e o compromisso;
* Extrai o máximo de produtividade de cada colaborador.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Show Madame Escarlate

(See attached file: Armazem Macaeh.jpg)

"O emitente desta mensagem � respons�vel por seu conte�do e endere�amento. Cabe ao destinat�rio cuidar quanto ao tratamento adequado. Sem a devida autoriza��o, a divulga��o, a reprodu��o, a distribui��o ou qualquer outra a��o em desconformidade com as normas internas do Sistema Petrobras s�o proibidas e pass�veis de san��o disciplinar, c�vel e criminal."

"The sender of this message is responsible for its content and addressing. The receiver shall take proper care of it. Without due authorization, the publication, reproduction, distribution or the performance of any other action not conforming to Petrobras System internal policies and procedures is forbidden and liable to disciplinary, civil or criminal sanctions."

"El emisor de este mensaje es responsable por su contenido y direccionamiento. Cabe al destinatario darle el tratamiento adecuado. Sin la debida autorizaci�n, su divulgaci�n, reproducci�n, distribuci�n o cualquier otra acci�n no conforme a las normas internas del Sistema Petrobras est�n prohibidas y ser�n pasibles de sanci�n disciplinaria, civil y penal."

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

domingo, 12 de setembro de 2010

terça-feira, 7 de setembro de 2010

7 de setembro de 2010

O Brasil comemora 188 anos de sua independência ainda em busca de seu lugar no mundo. 

Ainda em busca de uma democracia de fato.
Ainda em busca de educação para todas as suas crianças.
Ainda em busca de segurança, paz e tranquilidade.
Ainda em busca de uma saúde pública que funcione.
Ainda em busca de cidades sustentáveis.
Ainda em busca de resgatar os séculos de descaso com seu povo.

O Brasil comemora 188 anos de sua independência.
Ainda em busca de transformar o seu futuro.

A brava gente brasileira segue em sua luta por um país que seja de fato para todos. Não se esqueça que você faz parte desta gente e que você tem um papel na mesma luta.

Vamos juntos. O Brasil precisa de cada de um nós.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

BANDA MADAME ESCARLATE

Banda formada por:

Koy Lemos (Guitarra e voz),
Marcelo Leite (Guitarras e vocais de apoio)
Ivan Machado (Baixo),
Gustavo Teixeira (Bateria)

Que banda?

Natural de Macaé, Rio de Janeiro, com 8 anos de existência, tem como principal influência bandas que fazem parte do novo cenário do rock mundial, buscando uma linguagem musical direta e com atitude.
A estética sonora é constituída por riffs de guitarra poderosos e texturas suaves de maneira que se evidencie a dualidade entre calma e agressividade, marcadas principalmente por vocais cortantes. Tudo isso é unido com batidas derivadas do Rock'n Roll e linhas de baixo altamente sólidas.
As letras englobam tanto um contexto pessoal como social, falando dos medos, alegrias, decepções, amores, esperança e também criticando ações da sociedade como um todo.
A banda já se apresentou em todo o circuito carioca, assim como muitos clubes e cidades do estado do Rio de Janeiro, e lançará seu primeiro CD em 2011.

Quer falar com a banda?

Flaviana Nespoli Ribeiro - (21)8863-3868
Diretora de Marketing

Luiz José Ribeiro Junior - (21)8863-3867
Assessor de Imprensa

www.madameescarlate.com.br
http://twitter.com/@m_escarlate

terça-feira, 24 de agosto de 2010

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

O bem mais valorizado hoje em dia não é o ouro, nem o dólar, nem o petróleo, nem a cocaína.

OBS: Veio pela net... Mas é ótima!!!

O bem mais valioso na atual sociedade de consumo é o imbecil.

Um imbecil tem um valor inestimável para o sistema produtivo. Dê-me um imbecil e
eu lhe darei o mundo.

Agora vamos à explicação para teoria tão esdrúxula (ok, admito):

Em todas as profissões, todos os chefes, diretores executivos, sócios majoritários e presidentes de empresas procuram desesperadamente por imbecis nomercado. Não há nada melhor que nomear um imbecil para o cargo imediatamente abaixo do seu. Ele nunca o ameaçará e jamais tomará seu lugar. Cumprirá as ordens mais absurdas sem pestanejar. Mesmo que esta ordem seja fatal para o destino da empresa ou da instituição, o imbecil jamais vai contestá-la. Cumprirá cegamente a determinação mesmo que isso o leve, a médio prazo, para a fila do seguro-desemprego.

E assim vão sendo nomeados gerentes, assistentes de direção, editores-adjuntos, assessores parlamentares, chefe de gabinete, ajudante de ordem e uma série de outros cargos notoriamente ocupados por imbecis salvo as honrosas e lúcidas exceções, nas quais você, que já está pensando em me xingar, certamente se enquadra.

Essa gente deixa seus chefes absolutamente tranquilos, porque não terá competência, ímpeto ou talento para roubar-lhes o lugar.

Os anúncios de emprego deveriam colocar, ao lado da boa aparência, do domínio do idioma inglês e da pós-graduação, o requisito fundamental: que o candidato seja um irremediável imbecil.

Uma das razões para o imbecil cumprir à risca tudo o que lhe mandam fazer é que ele é um imbecil.

A outra razão é que todo o imbecil é, por definição, um medroso. Com pavor de perder seu emprego, o imbecil nem de longe pensa em questionar qualquer incumbência que lhe dão. Mesmo que isso vá lhe custar, logo logo, o emprego.

Talvez por isso o mundo tenha desenvolvido e dado poderes quase sobrenaturais à mais perfeita fábrica de imbecis, a televisão. Desde que a criança nasce, seus pais que não têm saco ou tempo para educá-la entregam a pobrezinha à babá eletrônica. Como os professores das escolas públicas e particulares são na maioria dos casos um punhado de imbecis (não estou generalizando, falo apenas da maioria), os estabelecimentos de ensino não oferecem o contraponto necessário ao lixo que é despejado na cabeça de meninos e meninas desde a mais tenra idade pela TV.

O resultado é que, deseducada por sumidades como Ratinho, Luciana Gimenez, o casal telejornal, Adriane Galisteu e pelos autores de novelas das nossas emissoras, a criançada se transforma, lá pelos 10, 12 anos, em indivíduos sem senso crítico, sexistas, preconceituosos, consumistas, racistas, agressivos e machistas (inclusive as garotas).

O imbecil não tem senso crítico, ele não contesta, não analisa, não raciocina. Se é Carnaval, ele pula. Se é Natal, ele compra. Se é Réveillon, ele vai para a praia ver os fogos...

E assim vamos renovando a manada de imbecis que transformou nosso planeta nesta bela festa injusta e poluída.

Show da Madame Escarlate


terça-feira, 3 de agosto de 2010

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Curso AFF

O Curso AFF (accelerated Free Fall) é o método mais moderno utilizado no Brasil e no mundo para formação de paraquedistas. O curso é dividido em 2 partes: teórica e prática.

Na parte teórica o instrutor passa ao aluno todo o conhecimento necessário para realização dos saltos. Este conhecimento abrange temas como normas regulamentares da Confedereção Brasileira de Paraquedismo, equipamentos, procedimentos à bordo da aeronave e em queda-livre, abertura do paraquedas, navegação, pouso e procedimentos de emergência.

A parte prática é dividida em 7 níveis (saltos) onde a cada nível o aluno recebe tarefas a realizar. Realizando as tarefas o aluno é aprovado para o nível seguinte e assim sucessivamente. Nos 3 primeiros saltos o aluno salta acompanhado por 2 “Jump Masters” (instrutores) e nos 4 níveis seguintes é acompanhado por apenas 1 “Jump Master”.

Os Saltos do Curso AFF são realizados a altura de 10.000 pés (aprox. 3.000 m) e a queda livre dura aproximadamente 40 segundos. Após o aluno comandar (abrir) o paraquedas e iniciar sua navegação, um instrutor no solo o auxilía através de um rádio de comunição até o pouso.

Venha saltar conosco!

AFF NÍVEL 5

AFF NÍVEL 4

AFF NÍVEL 3

AFF Ní­vel 2

AFF Nivel 1 Barra Jumping Rio de Janeiro

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Julgamento moral e civico.

Por Wilmar Marçal

A frieza das letras manifestadas por alguns defensores na instância jurídica, data vênia, muitas vezes frustra a população que aguarda um judiciário firme e comprometido com o bem público. Mas é preciso obedecer e acatar, pois, segundo se sabe, é uma análise realizada com a arte e a ciência da razão e não da emoção. Esse viés argumentativo tem tirado muito ladrão da cadeia, absolvido muitos traficantes e amparado pedófilos que são liberados e continuam machucando crianças e famílias. Essas possibilidades de contar com defensores deve e precisa continuar, pois a todos é permitido a ampla defesa e o contraditório. Lamentavelmente não se pode julgar com a emoção, razão pela qual, talvez, ainda existam muitos problemas sociais no país, pois os atos malditos coadunam com a perpetuação da impunidade. Em outros países, quem comete um erro, morre duas vezes: primeiro de humilhação, depois retirando a própria vida pela falta de dignidade em continuar convivendo com pessoas de bem. Mas no nosso querido Brasil... muitos fazem e acreditam que "não vai dar em nada". Todavia, como diz a própria Constituição Brasileira, "todo poder emana do povo e em seu nome deve ser exercido", está na hora de uma reação popular para o exercício prático do bem: sem armas, sem violência e sem lágrimas. Com a mesma frieza que o judiciário é peculiar em suas análises, a população, bem organizada, tem muito mais poder do que qualquer Juiz, data vênia.  Basta querer e se organizar. Sem vaidades, sem trampolins, mas com ordenamento e inteligência. Especificamente sobre os parlamentares "escolhidos" pelo povo, é possível sim avançar e execrar esses bandidos que sempre são reeleitos e se dizem representantes do povo nas respectivas Assembléias. O povo pode legislar com muito mais sapiência, no momento em que mantiver viva a memória de todos, nutrindo a lembrança com a boa informação em jornais e mídia comprometidos, verdadeiramente, com a causa coletiva. Chega dessa conversa fiada de "segredo de justiça" e "blindagem privativa". Bandido é bandido. É preciso destacar, em grande escala, os nomes daqueles que usurpam o dinheiro público, roubam a esperança de muitos e perpetuam a falsa bondade de atender os munícipes, prometendo mirabolantes projetos e recursos. Quem viaja pelo interior do Paraná pode constatar que as cidades estão empobrecidas, com poucos investimentos em infra-estrutura, muita gente desocupada e doente. Cabe-nos como cidadãos e cidadãs uma reação natural e pacífica. Analise, pense, estude a vida dos candidatos a qualquer cargo público e vote. Vote de acordo com sua inteligência e coerência. Não se pode mais admitir que a população ainda se renda aos hipócritas, mentirosos e mentirosas. Só assim será possível um julgamento moral e cívico que, certamente, não encontrará habeas corpus em qualquer jurisprudência para liberar os pérfidos e os enganadores. Façamos cada um de nós a nossa parte. Vamos ensinar a pescar e parar de assistir algumas pessoas recebendo o peixe de graça.

* Wilmar Marçal é professor universitário e ex-reitor da UEL./Pr.
wilmar_pr2010@hotmail.com

 

Postagens populares